Em resposta ao STF, vice-presidente do STJ destaca “gravidade concreta” dos crimes supostamente praticados por Ricardo Coutinho

Em resposta a solicitação do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, a vice presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Maria Thereza, destacou os detalhes do “salto triplo carpado”, conforme descrito pelo site O Antagonista, que levou o ministro Napoleão Maia a conceder o habeas corpus ao ex-governador, Ricardo Coutinho (PSB), preso na Operação Calvário, e demais beneficiados. Ela também deixou claro discordar do colega que corte, dada a “gravidade concreta invocada pela douta autoridade apontada como coatora”.

Leia:

“Muito embora tenha expressado o meu respeito às decisões proferidas pelo ilustre Ministro Napoleão Nunes Maia Filho, minha análise do ponto de vista técnico apontou para outra direção, o que me levou a negar todos os pedidos de liberdade, diante da gravidade concreta invocada pela douta autoridade apontada como coatora. Salientei ainda que a relatora nesta Corte, Ministra Laurita Vaz, preventa para todos os processos relacionados à Operação Calvário, já havia indeferido outros tantos pedidos formulados em outros habeas corpus, a exemplo do HC n. 553.670/PB, do HC n. 553.791/PB, do HC n. 553.839/PB e do HC n. 554.173/PB, em situações que em tudo se assemelham às dos investigados cujos pedidos de soltura foram a mim submetidos no plantão”, disse.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta