Lideranças do PCC entram em guerra e ala dissidente de Marcola espera por indulto

A manchete acima parece absurda e realmente é! Imaginar que parte de uma quadrilha espera ser “perdoada” pelo crimes que cometeu só porque “rompeu” com seu antigo chefe é surreal. Por mais absurdo que possa parecer, na Paraíba há políticos que mesmo tendo sido diretamente beneficiados por atos de corrupção de gestões anteriores, acreditam que após um suposto rompimento merecem ser inocentados. É justo?

Neste momento ouço apelos de colegas de profissão pela governabilidade, algo que escutei muito em Brasília na época do famigerado “mensalão”. Pois é! Naquela época pouco se fez e anos depois nos deparamos com o “petrolão”. A impunidade tem efeitos colaterais mais que previsíveis, mas muitos não ligam. Querem apenas ocupar os cargos que ficarão vagos. E assim o “mecanismo” se alimenta.

Um jornalista, velho amigo me aconselhou: você ainda não se entendeu com o governo? Pois corra! Ou você vai terminar defendendo o ex… Que triste raciocínio o deste “nobre” colega… Não, amigo. Não me entendi com o governo e nem com o ex-governador. Nessa briga os dois calçam 40.

Quanto ao PCC, era tudo uma mera figura de linguagem. Brincadeira… Porém, se funcionar na Paraíba, que impede de funcionar para outros criminosos?

Deixe uma resposta