Fachin vota para tornar Aguinaldo Ribeiro réu na Lava Jato, mas Segunda Câmara volta a adiar decisão

Causando estranheza em todos que acompanham o Judiciário brasileiro, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) voltou a adiar nesta ontem (4) a conclusão do julgamento que decidirá se será aceita denúncia contra três deputados e um senador do Progressistas (PP).

A sessão terminou no fim da tarde após um único voto, o do relator do caso, ministro Edson Fachin.

Os quatro são acusados de formação de organização criminosa para desviar dinheiro da Petrobras. O esquema foi investigado pela Operação Lava Jato. Se a denúncia for aceita, viram réus o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), que já é réu em outra ação no Supremo; os deputados Arthur Lira (PP-AL) e Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), e o senador Ciro Nogueira (PP-PI) – os três últimos também são alvos de outros inquéritos da Lava Jato. Todos negam as acusações

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta