Pais de Bruno Ernesto pedem suspeição de juíza e promotor em ação que envolve ex-governador


Os pais do ex-servidor da Prefeitura de João Pessoa, Bruno Ernesto, assassinado há sete anos com uso de arma e munição do governo do Estado da Paraíba, Inês Rêgo e Ricardo Rêgo, pediram o afastamento da juíza e de promotor, no caso, sob a alegação de vínculos familiares  que comprometem lisura do processo.

O promotor, segundo a família, é genro do superintendente do DER (Departamento de Estradas e Rodagem), Carlos Pereira, nomeado para cargo comissionado de confiança pelo investigado, o ex-governador Ricardo Coutinho. Já a juíza, seria esposa de um delegado de polícia, e nora da vice prefeita de Mataraca, filiada ao PSB partido do investigado.

Veja a ação:

Deixe uma resposta