João Pessoa ganha e programa voltado ao incentivo de empresas de TI

Na manhã de ontem (1) o prefeito de João Pessoa/PB, Luciano Cartaxo (PV), assinou o Estatuto do Extremotec. O termo é, em tese, o primeiro passo para a instalação de um polo tecnológico na Capital, que vai fomentar o ambiente para a atração de empresas para a cidade. Com incentivos fiscais da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), mais de 70 empresas da área já se tornaram membros do Extremotec.

Entre as medidas estão a redução da alíquota de 5% para 2% para as empresas que trabalham com tecnologia da informação.

Sobre o Extremotec

Localizado na cidade de João Pessoa, abraçando o ponto mais oriental das Américas, o Farol do Cabo Branco, o Polo Extremo Oriental das Américas (Extremotec) será um parque tecnológico pensado para atender a vocação de mercado de João Pessoa com extensão para todo o Estado. O Polo já possui uma sede provisória onde também funcionará a sede da Secitec, às margens da BR-230. O local possui 10.170 m² de área e também será espaço para feiras e eventos de tecnologia promovidos pela PMJP e por entidades ligadas ao mercado de tecnologia da cidade e será inaugurado em maio deste ano.

A estrutura de funcionamento do Polo é oriunda de um modelo conhecido mundialmente por Hélice Tríplice envolvendo  governo, iniciativa privada e academia presente em toda base de construção de iniciativas de inovação em todo o mundo.

O Polo Extremotec vai atuar no setor de Tecnologia da Informação (TI) e fomentar a Economia Criativa (EC), oferecendo um ambiente que incentive novos negócios para estimular o desenvolvimento de startups, atraindo indústrias e empresas da EC. O Polo também atuará no apoio a projetos de ensino, pesquisa e extensão com ênfase em ciência e tecnologia. A ênfase em desenvolvimento de sistemas, programação, desenvolvimento de softwares, aplicativos mobile, jogos eletrônicos, projetos de moda e marketing abre oportunidades para empresas do ramo que podem ter acesso a incentivos fiscais, como a redução da alíquota do ISS até o limite de 2%.

Deixe uma resposta