Assessores de Veneziano são punidos por postagens injuriosas contra Bruno e Romero

Ataques através das redes sociais promovidos de forma orquetrada, sistemática e com o claro objetivo de, a partir de informações distorcidas (as chamadas “fake news”), macular as imagens públicas do candidato a prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) e de seu principal apoiador, o prefeito Romero Rodrigues, de Campina Grande, foram alvos de decisões duras da Justiça Eleitoral de Campina Grande. Não por acaso, os dois responsáveis pela disseminação das mensagens falsas e que passaram a ser processados e investigados, estão lotados no gabinete do senador licenciado Veneziano Vital do Rêgo (PSB). Houve determinação até de apreensão de aparelho celular pela Polícia Federal, que foi acionada para apurar o fato em toda a sua extensão.

As decisões da Justiça Eleitoral, acatando ações da Coligação Campina Rumo ao Futuro, representada por Bruno Cunha Lima, atingem diretamente os servidores Vanusa Giometti e Oriel Marcos de Sousa Wanderley Júnior, ambos lotados no gabinete de Veneziano Vital do Rêgo no Senado Federal e acusados por difamação e calúnia eleitoral. Cada um deles, fazendo uso de suas redes sociais, via Facebook ou grupos de Whatsapp, disseminaram uma série de ataques infundados, com base na Operação Famintos, contra Bruno e Romero Rodrigues.

Em relação a Oriel Marcos de Sousa Wanderley Júnior, a Justiça Eleitoral determinou o recolhimento do aparelho ao servidor do Senado para perícia. O objetivo é descobrir a extensão dos efeitos da disseminação das mensagens injuriosas. Segundo a decisão, a partir do equipamento, Oriel – que teve o perfil suspenso por 30 dias – repassou uma série de conteúdos inverídicos contra Bruno e Romero em seus grupos de Whatsapp, notadamente em um chamado “Guiados por Deus”, que conta com quase 200 pessoas, tentando vincular a imagem do candidato e do prefeito do PSD à corrupção. O Facebook, proprietário do aplicativo WA, foi comunicado da sentença e informado de que, em caso de não cumprimento, será multado em R$ 1.000,00 por dia.

No caso da assessora Wanusa Giometti, também do gabinete de Veneziano Vital, a decisão da Justiça Eleitoral foi clara: retirar imediatamente do ar postagens no perfil Instagram com ataques à honra e à imagem de Bruno e de Romero. O Facebook, também proprietário do IG, foi da mesma forma comunicado sobre a sentença e informado sobre as mesmas penalidades pecuniárias diárias, em caso de não atender a determinação judicial.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta