Mesmo STJ que mantém RC e demais investigados pela Calvário soltos, deve ser decisivo no caso Queiroz


Todos os paraibanos se lembram do “salto triplo carpado” no STJ para conceder o Habeas Corpus ao ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), preso por chefiar uma Organização Criminosa, segundo denúncia do MPPB, que desviou milhões da Saúde Pública e da Educação na Paraíba. Na ocasião o ministro Napoleão Nunes Maia foi o responsável por manter a apelidada “Orcrim Girassol” em liberdade.

Dessa vez o “salto” no STJ deve ser outro, conforme informa “O Antagonista” o presidente do STJ, João Otávio de Noronha já avisou que não vai manter a tradição do rodízio durante o recesso em julho. Ou seja, o plantão que se caracteriza por decisões monocráticas será todinho dele.

Julho é justamente quando se espera que cheguem os habeas corpus dos investigados na Operação Anjo, entre eles Fabrício Queiroz.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta