Operação Calvário: recurso da PGR contra HC de Ricardo aguarda decisão no STF e “bomba” pode cair nas mãos de ministro citado em delação

Para o investigado nada melhor que a demora, especialmente quando se trata de uma ação que investiga casos de corrupção. Desde o último dia 6 se encontra “parado” no gabinete do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, pedido de Suspensão de Liminar apresentado pela Procuradoria Geral da República (PGR), em face de Habeas Corpus (HC) concedido ao ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho.

Ricardo Coutinho em audiência de custódia

Ricardo foi preso pela Operação Calvário (MPPB/TCU/PGR/PF), sob a acusação de chefiar uma Organização Criminosa que drenava recursos públicos da Saúde e Educação através de Organizações Sociais, mas foi posto em liberdade devido a liminar concedida pelo ministro Napoleão Maia do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ação pode “sobrar para Fux”

Caso o ministro Toffoli não decida se Coutinho volta ou não para a cadeia até o próximo dia 17, o próximo ministro que assume o plantão é justamente Luiz Fux que foi citado em uma gravação do delator, ex-diretor da Cruz Vermelha/RS, Daniel Dantas, em situação pra lá de comprometedora.

O relator das ações referentes a Operação calvário no STF é o ministro Gilmar Mendes, mas devido ao recesso forense o mesmo não decide no momento sobre a Suspensão de Liminar.

Deixe uma resposta