Corrupção generalizada: Crusoé revela que personagens da Calvário e Lava Jato se misturam

A edição desta sexta-feira (10) da revista Crusoé revelou que o diretor da Cruz Vermelha, Daniel Gomes, em acordo de colaboração com o MP contou que era muito próximo de figuras de destaque presas pela Lava Jato.

Em depoimento, Daniel, que gravou mais de mil horas de conversa com o ex-governador, Ricardo Coutinho, conta de sua relação com Jorge Luz, operador do MDB na Petrobras, com o ex-deputado federal petista Candido Vacarezza e com Leonardo Picciani, ex-ministro do governo de Michel Temer.

O delator revela ainda que “os três o ajudaram a conquistar contratos na Secretaria de Saúde do Rio, então comandada por Sérgio Côrtes, homem de confiança de Sérgio Cabral”. Daniel chegou a entregar gravações de conversas com Jorge Luz e com outras pessoas próximas a ele. Em algumas, os interlocutores se mostram preocupados com a possibilidade de o operador do MDB, que havia caído em destraça na Lava Jato, fechar um acordo de delação premiada com os procuradores de Curitiba. Não imaginavam que, em pouco tempo e, ironicamente, pelas mãos do aliado a quem manifestavam a preocupação -, estariam metidos em outra rumorosa investigação. Os cofres públicos agradecem.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta