Leia documentos na íntegra: Livânia Farias diz que Azevedo recebeu “mesada” de R$ 120 mil da Cruz Vermelha; governador vê retaliação

O governador da Paraíba, João Azevedo (sem partido), foi apontado como um dos beneficiados pelo esquema de corrupção investigado pela Operação Calvário. Segundo consta em acordo de colaboração da ex-secretária, Livania Farias, Azevedo recebia R$ 120 mil mensais para pagar despesas de campanha. Estes recursos eram provenientes da Cruz Vermelha/RS, que administrava o Hospital de Trauma, Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Segundo a ex-secretária, João participou de reuniões para tratar não apenas da “mesada” que recebia, mas de uma “ajuda” para familiares.

O responsável por receber os recursos, segundo Livania era o secretário, Deusdete Queiroga, que atualmente ocupa a pasta de Infraestrutura.

O outro lado

O governador, por meio de sua assessoria, diz que as despesas da pré-campanha e da campanha se deram de forma lícita e transparente, de modo que se terceiros se valeram desse pretexto para a prática de ilícitos eles é que terão de responder.

E afirma que em face das medidas de combate à corrupção e do afastamento de secretários envolvidos na Operação Calvário, já se esperava que o governador poderia ser vítima de retaliação dos que foram afastados.

Veja o documento na íntegra.

Deixe uma resposta