Veja vídeo exclusivo: delações confirmam “dinheiro ilegal para campanha” e propina para Márcia Lucena

Presa na 7ª Fase da Operação Calvário e posta em liberdade no último dia 21 por decisão do ministro Napoleão Maia (STJ), a prefeita do Conde, Márcia Lucena, foi citada por pelo menos dois delatores como beneficiada com recursos ilegais na campanha de 2016.

Em acordo de delação premiada, Cláudia Cristina (Claudia Camisão), representante de uma das Organizações Sociais (OSs) envolvidas na Operação Calvário, disse ter doado em 2016 a pedido da ex-secretária, Livânia Farias, R$ 40 mil para a campanha de Márcia. O dinheiro, segundo Cláudia foi entregue ao ator, Nanego Lira (marido da então candidata), em um escritório de Livânia Farias.

Veja o vídeo:

Já o Diretor da Cruz Vermelha, que também fez acordo de delação premiada, Daniel Gomes, disse o seguinte sobre sua participação na eleição de Márcia Lucena. “Naquela ocasião, eu confirmei que ajudaria na candidatura de MÁRCIA LUCENA com o valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais), entregue em espécie por mim diretamente à LIVÂNIA FARIAS, no dia 27 de setembro de 2016, em seu gabinete na Secretaria de Administração da Paraíba”, revelou.

Mais adiante, Daniel diz: “Logo após o período eleitoral, fui procurado pela prefeita eleita do município de Conde/PB, Márcia Lucena, para iniciarmos os trâmites necessários à implementação do programa de gestão pactuada naquele município. Naquela ocasião, eu informei à MÁRCIA que incialmente deveria ser aprovada uma lei que instituiria o programa naquele município e tratasse da qualificação de organizações sociais para assumir a gestão da saúde, nos termos da Lei já aprovado no estado. Em paralelo, eu fiquei de encaminhar uma equipe técnica da CVB para avaliar e elaborar uma proposta para CVB assumir a gestão os serviços de saúdes municipais que seriam atendidos. Passo seguinte, apresentei o modelo de legislação sobre o tema, devidamente ajustado para o município pelo jurídico da CVB, à prefeita”. E completou: “Em seguida, fui informado da aprovação do Projeto de Lei 009/2017 de autoria do executivo e da publicação, em 11 de julho de 2017, da Lei Municipal n° 921/2017, que instituiu o programa de gestão pactuada sobre qualificação de OS e outras providências. Assim, a Secretária de Administração da Paraíba LIVÂNIA FARIAS agendou nova reunião comigo para solicitar que fosse incluído no valor do contrato de gestão da saúde do Município de Conde/PB o montante de R$ 40.000,00 de propina mensal à MÁRCIA”.

Por fim, Daniel acabou admitindo que a Operação calvário impediu que a Cruz Vermelha assumisse o controle da saúde no município.

Outros beneficiados

Ainda em sua delação, Cláudia Camisão, confirmou que doou R$ 15 mil para a campanha de um sobrinho de Livânia que era candidato a vereador (Colorau), entregue em espécie, e para a campanha de João Azevedo em 2018, mas que esta segunda foi na conta da campanha.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta