Lula Livre e o velho jeitinho brasileiro

Presidente do STF, Dias Toffoli

Que somos uma “República das bananas” não é novidade para ninguém, mas o passo a passo que levou a soltura do ex-presidente, Lula, mostra com detalhes os contornos de uma estrutura de Poder podre e nauseante ao estômago mais resistente. Afinal, em um país em que 80% da população carcerária sequer foi julgada em primeira instância, discutir a soltura de presos em segunda instância é uma afronta a inteligência de qualquer um.

Lula não foi solto devido a interpretação da Constituição Federal de 1988! Não tenho como provar minhas afirmações, mas tudo leva a crer que um grande acordo envolveu Palácio do Planalto, STF e o “novinho” Lula. Algo do tipo: esquecemos as peripécias dos meus filhotes e vocês soltam o Lula. No final todo mundo fica com cara de paisagem em nome da sobrevivência dos “bolsonaristas e lulistas”. Alguma novidade? Nenhum, meus queridos! Estamos no país dos acordos! Até nossa independência foi assim… Oras!

Quanto a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que poderá restabelecer a prisão em segunda instância, podem esquecer… Para aprovar uma PEC são necessários ⅔ dos votos, ok? Como uma proposta dessa natureza pode ter tantos votos de ⅔ do Congresso é investigado pela Lava Jato? Já deu pra perceber que a conta não fecha.

“Nós vamos outra vez, pro fundo do buraco/

Você não tem vergonha, e eu já não tenho saco” (Camisa de Vênus) 

1 comentário em “Lula Livre e o velho jeitinho brasileiro

Deixe uma resposta