Heraldo Nóbrega: um gentil jornalista como não existem mais

Não tenho a lembrança exata de quando conheci o colega de jornalismo, Heraldo Nóbrega. Sei que desde que fui “foca” (jornalista em início de carreira) ele estava sempre trabalhando e tratando a todos com a solene educação de quem sabia o valor dos gestos e das palavras.

Heraldo ocupou alguns dos cargos mais importantes dos principais veículos do Estado, mas era de uma humildade franciscana, sempre com um sorriso discreto e uma palavra de ânimo para os amigos.

Meu amigo se foi. “Escolheu” saltar para a morte. A vida e suas chagas pesavam  muito nos ombros. Não julgo Heraldo. Só Deus e ele sabiam as dores que seu coração carregava. Como cristão não tenho como aprovar o ato extremo do colega, mas como ser humano sei que há dores que sufocam a alma.

Vá em paz, amigo Heraldo Nóbrega. Que nossas orações após sua morte possam suprir a falta que fizemos em vida. A luta contra a depressão depende muito dos amigos. Uma pena tudo isso.

Deixe uma resposta