Quinta fase da Operação Xeque-mate tem como alvo casa do pai de ex-deputado federal da PB

Dezenas de policiais federais participam neste momento da 5ª fase da Operação Xeque-mate que desta vez tem como alvo endereços ligados à comercialização de medicamentos com a Prefeitura de Cabedelo.

Buscas e apreensões estão sendo realizadas nos Bairros do Bessa, Manaíra, Miramar e Intermares, em Cabedelo.

Foram divulgadas imagens de viaturas em frente ao edifício Barcelona, localizado na esquina das ruas Nicola Porto e Franca Filho, no bairro de Manaíra. Há também agentes da Polícia Federal no Condomínio Mozart, no bairro do Miramar.

Grande quantia de dinheiro foi encontrada em um dos endereços.

Em intermares, os agentes estiveram em um Flat, localizado à beira mar.

Segundo as primeiras informações, a operação  faria parte da Operação Xeque-Mate e estaria em busca do ex-deputado André Amaral e o pai. Grande quantia em dinheiro teria sido apreendido em um dos imóveis. As informações foram confirmadas pelo programa Correio Manhã, com Nilvan Ferreira.

Foram realizados ao menos oito mandados de busca e apreensão. Uma entrevista coletiva será concedida logo mais, às 10h, na sede da Polícia Federal, em Cabedelo.

Leia a nota da PF

Cabedelo/PB– A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje 08/10, em conjunto com o Ministério Público Federal, o GAECO/MP/PB e a CGU, a quinta fase da Operação Xeque-Mate, com objetivo de dar cumprimento a medidas de busca e apreensão determinadas pela 16ª Vara da Justiça Federal da Seção Judiciária da Paraíba.

O cumprimento das medidas, na data de hoje, tem por objetivo angariar elementos de prova relacionados à possível prática de crimes e desvios de recursos públicos federais destinados à aquisição de medicamentos pela Prefeitura de Cabedelo/PB.

A operação conta com a participação de 50 policiais federais, dando cumprimento a oito mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados e nas empresas contratadas pela Prefeitura de Cabedelo/PB, para fornecimento dos medicamentos.

CRIMES INVESTIGADOS: Os investigados poderão responder pelos crimes de formação de organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e fraude licitatória, previstos, cujas penas, somadas, poderão chegar a mais de 30 anos de reclusão.

Será concedida entrevista coletiva às 10:00 horas, na sede da Polícia Federal, localizada no Bairro de Intermares, Cabedelo/PB.

Deixe uma resposta