Propinoduto: leia íntegra da denúncia contra irmão do ex-governador da Paraíba e mais 8

Propinoduto, Caso dos 81 mil ou Caso Bernardo Vidal, muitos foram os nomes dados pela imprensa na época em que envelopes recheados de dinheiro foram apreendidos, mas na época tudo acabou sendo aparentemente encoberto. Conheça detalhes de um esquema, segundo o Ministério Público da Paraíba, criminoso que desviou milhões de reais da Prefeitura de João Pessoa, tudo com a participação de pessoas da mais estreita confiança do ex-prefeito e ex-governador, Ricardo Coutinho, entre eles seu próprio irmão, Coriolano Coutinho.

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) denunciou nove pessoas à Justiça, nesta quarta-feira (04/09), entre elas ex-secretários da Prefeitura de João Pessoa. Nesta ação penal, o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), além de detalhar o modo de agir do grupo que teria desviado do Município R$ 49 milhões, sob o pretexto de contratação de serviço de recuperação de créditos tributários via empresa de consultoria, também descreve como se dava o pagamento de propinas a agentes públicos entre 2009 e 2011, que foi marcado pela apreensão de R$ 81 mil, em junho de 2011. 

    Além de contar com colaborações de integrantes do esquema, o Gaeco reuniu provas a partir da quebra de sigilo concedida pela Justiça. Foram denunciados, Bernardo Vidal Domingues dos Santos, Gilberto Carneiro da Gama, Livânia Maria da Silva Farias, Laura Maria Farias Barbosa, Coriolano Coutinho, Raymundo José Araujo Silvany, Aracilba Alves da Rocha, Raimundo Nonato Costa Bandeira e Jose Vandalberto de Carvalho. 

    A investigação mostrou que a contratação da empresa Bernardo Vidal Advogados pela Prefeitura de João Pessoa, entre 2009 e 2012, “foi um engenho orquestrado pelos quatro primeiros denunciados para desviar recursos públicos, mediante o pagamento indevido de milhões em honorários, bem como para viabilizar o recebimento de propina pelo segundo, terceiro, quarto e quinto denunciados”, diz trecho da ação.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta