Podcast – Patos: justiça lenta é grande responsável por caos administrativo

Imagine um time de futebol que durante um campeonato muda de técnico quatro vezes. Quais as chances dessa equipe obter bons resultados? Pois é… Se numa equipe de esportes o caos seria generalizado, tente projetar os efeitos colaterais dessa bagunça em um município como Patos/PB que em três anos já está no quarto prefeito.

Tudo começou com a Operação Cidade Luz, que desbaratou um suposto esquema de corrupção no município e afastou o prefeito, Dinaldinho Wanderley (PSDB). Na sequência assumiram o comando do Executivo: o vice-prefeito, Bonifácio Rocha, o ex-presidente da Câmara Municipal, Sales Junior (PRB) e agora tudo está nas mãos do prefeito interino, Ivanes Lacerda (MDB).

Sem a chancela da Justiça e nem da Câmara Municipal que não caçam definitivamente o mandato de Dinaldinho, Ivanes tenta dar alguma legitimidade a seus atos dividindo a responsabilidade deles com um Conselho Gestor. O órgão é formado por 19 entidades, como igrejas, associações comunitárias, Ministério Público e a Câmara de Dirigentes Lojistas da cidade.

O grande problema é que mesmo com o apoio do conselho, Ivanes não é o titular do cargo e com o passar dos dias tende a enfrentar as mesmas crises dos seus antecessores que terminaram passando o bastão.

Deixando de lado as crises políticas, se imagine agora como um comerciante da cidade de Patos. Você teria coragem de fornecer produtos e serviços para uma gestão que não consegue ter o mínimo de estabilidade? Acha que alguém teria? Isso sem falar na montanha de servidores exonerados, dívidas impagáveis e serviços públicos ineficientes. É o caos!

A culpa? Claro que a culpa é de quem não decide de uma vez por todas pela cassação do mandato de Dinaldinho ou pelo seu retorno, a esta altura mais que improvável, ao cargo de prefeito.

Resta a nossa solidariedade ao povo de Patos.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta