Sérgio Queiroz e a inevitável necessidade de se posicionar sobre 2020

O secretário nacional de Proteção Global do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Sérgio Queiroz, tomou um grande susto nos últimos dias, quando descobriu que tinha uma artéria com 99% de obstrução. Ou seja, estava à beira de um infarto. Felizmente, Sérgio, que é Pastor de uma das maiores Igrejas Evangélicas da Paraíba, descobriu o problema a tempo, se submeteu a uma angioplastia e passa bem.

Resolvido o problema de Saúde, o Pastor que nunca se posicionou politicamente de maneira aberta em João Pessoa, tenta evitar a bombástica mistura de política e religião, fazendo isso mesmo ocupando cargo no governo Bolsonaro. Mesmo assim, Sérgio figura em qualquer consulta informal como um dos nomes que poderia “mexer” com a disputa pela prefeitura da capital em 2020, goste ele ou não!

Diante destes fatos a pergunta que fica é: na hipótese de seu partido ou o próprio Bolsonaro entender que precisa de um nome em João Pessoa e que este nome é o dele, como reagiria Sérgio? E mais, se não for candidato apoiará publicamente o nome que receber a chancela de seu partido?

Ao que parece o período de isenção do Pastor está com os dias contados… Ou não?

Deixe uma resposta