Após Bolsonaro dizer que tem preconceito com “governador ladrão”, Azevedo rebate e defende consórcio do NE

Em entrevista ao site de notícias UOL, publicada nesta segunda-feira (12) o governador da Paraíba, João Azevedo (PSB) ironizou a ideia de que os governadores do Nordeste querem se separar do país ou transformá-lo em Cuba, como insinuou Bolsonaro, por conta da criação de um consórcio dos estados. “De forma alguma. Essa coisa de dizer que o consórcio vai transformar o Nordeste em Cuba, que quer separar o Nordeste do Brasil, isso é uma leitura simplória do processo. O consórcio é um suporte. Vamos criar um fundo de investimentos do Nordeste, com participação de vários bancos, para enfrentar a paralisia econômica do país. Queremos isso”.

João Azevedo, governador da Paraíba

Com o slogan “O Brasil que cresce unido”, o Consórcio Nordeste foi apresentado no último dia 4, em Salvador, e reúne os nove estados da região. A ideia é realizar uma série de investimentos em conjunto, como a criação de uma central de compras, e fechar parcerias com entidades internacionais. Outra proposta é a contratação de médicos estrangeiros, o que ensejou a alfinetada de Bolsonaro.

A citação de Azevedo é uma resposta a declarações do presidente Bolsonaro em visita a Bahia, 05, que disse: “Para alguns governadores é o Nordeste e o resto. Querem fazer disso aqui uma Cuba? O Brasil é um só, não queiram dividir regiões. Tem alguns que acham que aquela região é dele e não do povo. Isso não existe, o Nordeste é Brasil”, comentou.

O presidente garantiu não ter preconceito com nordestinos, mas sim com ladrão. “Não estou aqui com colegas nordestinos para fazer média. Mas não existe esta questão de preconceito. Eu tenho preconceito é com governador ladrão que não faz nada para o seu Estado”. 

Deixe uma resposta