Pedro Cunha Lima diz que João Azevedo é refém do “populismo e narrativa do quanto pior melhor”

O deputado federal, Pedro Cunha Lima (PSDB/PB) lamentou nesta terça-feira (09) que o governador, João Azevedo (PSB), seja, segundo ele “refém de um populismo, de uma narrativa partidária, que a gente sabe que resulta no quanto pior melhor”.

Pedro lembrou que a reunião que aconteceria entre o chefe do executivo estadual e a bancada, cancelada após o governador decidir se colocar contra a reforma, propunha uma construção política para que estados e municípios fossem inseridos no texto final. “Primeiro a gente lamenta, pelo momento que o Brasil vive e pela necessidade do ajuste fiscal. O país precisa de um novo ambiente econômico pra voltar a crescer. A gente lamenta que o governador da Paraíba fique refém de um populismo, de uma narrativa partidária, que a gente sabe que resulta no quanto pior melhor e o que desejávamos é uma construção política para se houvesse uma reforma mais robusta, como o próprio governador é contra a reforma e não quer a inclusão dos estados e municípios pra tratar de um tema específico, nós vamos cumprir a constituição que é com que cada ente federativo cuide da sua previdência”, disse.

Quanto a aprovação da reforma, Pedro se disse confiante na sensibilidade da Casa. “No mais acreditar em uma consciência de nação pra que a gente consiga fazer o ajuste fiscal, porque a reforma será aprovada”. E completou: “…,é inquestionável a necessidade de se fazer alterações e mudanças com sensibilidade social”.

Sobre os temas mais polêmicos, o deputado previu que cada ponto será debatido a exaustão. “Existem destaques que precisam ser analisados, caso a caso. Ninguém quer aqui desmontar um amparo social pra pessoas que vivem em uma vulnerabilidade já muito grande, mas é evidente que o Brasil precisa de um novo rumo, um novo caminho e é evidente que o que está acontecendo hoje não está funcionando”, arrematou.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta