Combate à corrupção: o preço que se paga todos os dias II

Não espere reconhecimento por seus atos. Se deseja combater criminosos poderosos, esteja pronto para morrer como Eliot Ness.

Muitos conhecem o famoso gângster, Al Capone, que se tornou o rei do crime em Chicago Chicago durante os anos 20 e 30. Um número bem menor de pessoas já ouviram falar de Eliot Ness.

Curiosamente, o líder dos Intocáveis, apenas um agente do Tesouro Americano, que em meio aos seus esforços para fazer cumprir a Lei Seca, acabou sendo o responsável pela prisão de Al Capone por sonegação de impostos.

Capone era um criminoso violento, comandava a venda ilegal de bebidas e tinha boa parte dos políticos de Chicago no bolso.

A máfia nunca perdoou Ness.

Com o sucesso na prisão do mafioso, Eliot Ness foi tratado como estrela e chegou a ser secretário da segurança pública de Cleveland até 1942, mas do dia pra noite sua reputação foi arruinada.

Ness foi acusado de abandonar o local de um acidente de trânsito supostamente provocado por ele. A imprensa crucificou o antigo herói. Eliot tentou ainda uma fracassada carreira como empresário e se candidatou à Prefeitura de Cleveland, mas sem conseguir vencer.

Morreu pobre e desprezado de um ataque cardíaco, em 16 de maio de 1957, em Coudersport.

Ninguém tem como saber se Eliot Ness se arrependeu de enfrentar o crime, mas ouso dizer que mesmo conhecendo o preço, ele aceitou sua missão

Sabemos que muitos não perdoam a Força Tarefa da Lava Jato e da Calvário pelas prisões de  políticos e agentes públicos e estes estão dispostos a tudo por vingança, mas aos que recebem esta missão que cumpram, apesar do preço que costuma se pagar. Moro e Deltan que o digam…

Deixe uma resposta