Hacker que invadiu celular de jornalista buscava acusar procuradores de vazar informações


A esquerda partiu para o tudo ou nada e está obtendo sucesso acima do esperado com  os ataques promovidos contra a “República de Curitiba”, ferindo provavelmente de morte a Operação Lava Jato. Se engana quem imagina que a “novela” envolvendo a conduta do promotor, Deltan Dallagnol e do ministro Sérgio Moro tenha acabado.

Desde o início da Operação Lava Jato, políticos de esquerda acusam a Força Tarefa de vazar propositadamente informações para jornalistas, buscando, segundo aliados o ex-presidente preso, Lula, destruir reputações.

Se no momento é impossível responsabilizar o PT ou o The Intercept pelo hackeamento das contas de aplicativos de mensagens, há que se reconhecer que os “companheiros” foram os mais beneficiados pelo vazamento das mensagens. Me recuso a falar sobre Glenn Greenwald e seu esposo que por acaso é deputado do Psol. Acho que hacktivismo é outra coisa, mas é preciso reconhecer que há meses a esquerda e o próprio The Intercept dava sinais do que seria a estratégia de “desmoralização da Lava Jato”.

Promotores comentavam abertamente sobre as muitas ciladas montadas para tentar provar que estariam compartilhando informações com a imprensa de maneira ilegal.

A verdade é que toda República pode estar sendo grampeada. Agora, imagine o que estes que até ontem eram violões e agora posam de vítimas farão se conseguirem voltar ao Poder?

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta