Pedro coleta assinaturas para apresentar ‘PEC dos Penduricalhos’ que põe fim a regalias

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) já coletou 64 das 171 assinaturas necessárias para apresentar a ‘PEC dos Penduricalhos’ na Câmara Federal, que tem o objetivo de reduzir o custo da máquina pública e diminuir privilégios às autoridades. A Proposta de Emenda a Constituição pretende acabar com auxílio-creche, mudança, livro, saúde, alimentação ou qualquer outro auxílio para quem recebe mais de 1/4 do salário do ministro do Supremo (aproximadamente R$ 10 mil).

“Eu já peço a assinatura dos colegas para uma das propostas que é a ‘PEC dos Penduricalhos’. Auxílio-alimentação tem que ter para quem não tem o que comer. Tem gente que passa fome no nosso País e não recebe auxílio-alimentação. Precisamos de um ajuste fiscal, pois o Brasil quebrou. Por enxergar uma desigualdade social imensa entre nós, penso que esse ajuste não pode esquecer a camada de cima.”, criticou o deputado.

A proposta veda a “percepção de acréscimo, ainda que de forma indireta, por ato administrativo ou decisão judicial, sem expressa e direta previsão constitucional, por aqueles agentes públicos cuja remuneração ou subsídio mensal seja superior ao valor de ¼ do subsídio mensal (aproximadamente R$ 10 mil), em espécie, dos ministros do Supremo Tribunal Federal”.

Pedro destaca que não é contra nenhuma autoridade, mas argumenta que não é justo uns receberem tantos benefícios, enquanto outros não têm acesso ao básico e que é preciso ter um combate mais agressivo contra a desigualdade.

“E antes que queiram dizer que sou contra procurador, juiz ou qualquer outra autoridade, tenho enorme respeito pela função exercida por cada um. Mas isso não me faz achar correto que esse universo fique de fora do necessário ajuste que precisamos. É muito triste a situação do Brasil. Todos precisam participar da reconstrução da nossa economia. O momento exige solidariedade e espírito de contribuição para surgir um novo Brasil”, disse.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta