Ferrugem: cinco anos após inauguração, passarela que deveria resistir a corrosão e custou quase R$ 1 mi será interditada

A passarela do Renascer na BR-230, inaugurada em 2013, com o custo de R$ 993,033,19 e promessa de ser fabricada com um “aço especial resistente à corrosão”, segundo divulgou o governo do Estado na época, será interditada para pedestres a partir do dia 29 de maio. O motivo é a realização de serviços de manutenção em sua estrutura metálica pela empresa contratada.

Segundo informou o DER (Departamento de Estradas e Rodagem), a passarela “vem passando por vários serviços de manutenção em toda sua estrutura, incluindo a substituição de peças oxidadas e pintura”.

O custo da obra é de aproximadamente metade do valor que se gastou para construir, R$ 481.190,00, tendo como empresa ganhadora da concorrência a Camargo & Camargo, especializada na restauração de estruturas metálicas. Os serviços foram iniciados em janeiro de 2019 e agora estão na fase final.

O superintendente do DER, Carlos Pereira de Carvalho e Silva, disse que a passarela é de fundamental importância para a travessia dos moradores da comunidade do Renascer. “A exemplo da passarela do Renascer, a orientação do governo estadual é manter as rodovias em boas condições de trafegabilidade, segurança e conforto de inverno a verão”, diz o dirigente do DER.

Para facilitar a travessia dos pedestres na área, o DER, com o apoio do Dnit, providenciou faixa para pedestres e sinalização vertical nas duas vias da rodovia.

RECOMENDADO PELO GOOGLE:

Deixe uma resposta