Ricardo Coutinho mergulha e “some do mapa” após delação de Livânia

Não se sabe ainda se o ex-governador, Ricardo Coutinho (PSB), foi aconselhado a “mergulhar” por advogados, aliados ou se tudo se trata de pura coincidência, mas após a notícia da delação de sua ex-auxiliar, Livânia Farias, que deixou o encarceramento na última terça-feira (23), depois de colaborar com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no âmbito das investigações da Operação Calvário, o “mago” (apelido do socialista) nunca mais foi visto.

Fontes garantem que Ricardo estaria no exterior, outros dizem que estaria em Brasília, mas a verdade é que o ex-chefe do Executivo no período em que a Cruz Vermelha se instalou no Hospital de Trauma, não disse uma palavra sequer, mesmo em redes sociais sobre o caso. Claro que
o socialista também não tem obrigação nenhuma de dizer onde está…

Registre-se que o Blog já tentou contato com o ex-governador através de diversas plataformas, mas o mesmo optou pelo silêncio.

Longe do epicentro da grave crise que atinge aliados, Ricardo deve explicações sobre as razões que levaram o governo do estado, no período em que esteve à frente do Palácio da Redenção, a contratar esta Organização Social acusada de desviar dinheiro público e despejá-lo em operações pra lá de ilegais, conforme apontam as investigações do Gaeco.

Deixe uma resposta