Com segundo caso de malária confirmado, população cobra respostas

Existe risco de uma epidemia? Turistas devem evitar o município onde as pessoas foram infectadas? Existe risco da doença se espalhar? São muitas perguntas e até agora as respostas da Secretaria de Saúde do Estado são vagas quanto aos dois casos de malária contraída em solo paraibano.

Dessa vez foi um homem de 53 anos deu entrada no Hospital Universitário de João Pessoa, após ser transferido do Trauminha de Mangabeira.

O fato ocorreu na noite dessa sexta-feira, 05.
O homem é morador de Caripibus no Conde, Litoral paraibano. Ele deu entrada no hospital com febre alta e calafrios.

Este é o segundo caso da doença registrada em menos de duas semanas. Os dois casos foram transferidos da cidade do Conde.

Na sexta-feira, 29, uma mulher de 35 anos também deu entrada no HU com os mesmos sintomas. Ela está em tratamento e não tem previsão para alta.

Tudo que a SES repete é que a Paraíba “não é área endêmica para a malária e, por isso, não há motivo para pânico”, mas como não se preocupar?

A prefeitura do Conde deve pulverizar inseticidas neste final de semana para combater o mosquito prego, transmissor da doença. A prevenção se dá no uso de inseticidas, repelentes, mosquiteiros, telas em janelas e outros.

O tratamento é ofertado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde.

Deixe uma resposta